quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Ilusão

        Não ligo em ser usada, só me importa saber. Mas de que adianta, se em nada muda?
        Quero-te mas quero-te de uma forma que não sei explicar. Quero-te bem, quero-te perto, quero-te dentro de mim, porém quero-te o mais distânte possível. Quero-te mal, quero-te humilhado e degradado por saber que no fim à de me magoar mas, mesmo sabendo disso, quero-te perto, quero-te dentro. Essa confusão de querer-te e rejeitar-te me abala, tira meu sono e joga-me aos calmantes.
          De que adiante o saber se em nada mudará? De que adianta esforçar-me em odiá-lo, em afastá-lo se no fundo (embora a superficie deixe transparecer) gosto-te muito ? Não ligo em ser usada, nem quero sabê-lo. Prefiro agarrar-e a ilusão.
          Porque, mesmo que você só me use, a ilusão fixará um sorriso em meu rosto.  

2 comentários:

  1. Podemos conversar depois sobre isso se quiser...

    ResponderExcluir
  2. Sempre existe a opção longe enquanto achar necessário rsrs

    ResponderExcluir