quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Ilusão

        Não ligo em ser usada, só me importa saber. Mas de que adianta, se em nada muda?
        Quero-te mas quero-te de uma forma que não sei explicar. Quero-te bem, quero-te perto, quero-te dentro de mim, porém quero-te o mais distânte possível. Quero-te mal, quero-te humilhado e degradado por saber que no fim à de me magoar mas, mesmo sabendo disso, quero-te perto, quero-te dentro. Essa confusão de querer-te e rejeitar-te me abala, tira meu sono e joga-me aos calmantes.
          De que adiante o saber se em nada mudará? De que adianta esforçar-me em odiá-lo, em afastá-lo se no fundo (embora a superficie deixe transparecer) gosto-te muito ? Não ligo em ser usada, nem quero sabê-lo. Prefiro agarrar-e a ilusão.
          Porque, mesmo que você só me use, a ilusão fixará um sorriso em meu rosto.  

Dito por não dito...DIGO

Pequeno poema que fiz para alguém leia-se Lear
Gosto-te muito


Não posso dizer que meu coração bata só por ti
Pois isto já fazia muito antes
Não posso afirmar que o ar entre e saia de meus pulmões por ti
Pois isso, também, já o fazia a tempos
Não posso te falar que meus pensamentos se voltam única e exclusivamente a ti
Pois, sendo assim, estaria fardada ao fracasso ao atravesar a rua

Apesar de tudo posso afirmar-te que meu coração permanece bombeando
Meus pulmões se inflando
E meus pensamentos flutuando
Por gostar-te muito

Não posso dizer-te que continuo vivendo só por ti
Mas posso afirmar-te que faz parte integrante da vida em mim
Não porque sem ti ela não fisesse sentido
Porém porque contigo ela adiquire outro sentido

Afinal, todos estamos fardados a nos apaixonar mesmo que por breves instantes, puros segundos.

Desculpa!

        Tá! Eu sei que faz tempo que não posto, mas é que eu tenho escrito no papel e tenho esquecido de passar para o blog ( Sim, tenho "I-D-I-O-T-A" escrito na testa). Então ficam aqui as minhas sinceras desculpas, se aceita ou não é problema seu, e vamos aos escritos!