segunda-feira, 19 de julho de 2010

Divulgação

        Esse é um post rápido para divulgar, como o nome já diz, sobre as outras coisas que escrevo. O primeiro é o "Rosenrot" (  http://rosenrot2.blogspot.com/ ), que vem do título de uma música do Rammstein (banda pela qual tenho uma paixão enorme) e significa " rosa vermelha". Eo o segunda é o " A Valkíria" ( http://avalkiria.blogspot.com/ ), que está meio caidinho mais possui postagens interessantes.

domingo, 18 de julho de 2010

00:24

        São exatamente meia noite e vinte e quatro minutos  eu estou acordada em casa ouvindo "Gossip" enquanto espero meu pai chegar e casa, porque ele saiu sem chave.
        Só me dei conta do que estava acontecendo à dois minutos enquanto escovava os dentes depois de beber matte. Percebi que quase nunca bebo café e quando bebo é com leite, não suporto café puro (agora já pode me chamar de bichinha Louis). Por isso resolvi sentar em frente ao computador porque cansei de ler "O Vampiro Lestat". Eu também me toquei que nunca vou conseguir guardar o nomes fictícios que usei nas pessoas porque sou horrível pra guardar nomes e siglas.
        Eu sempre consigo associar um rosto a uma coisa ou momento, mais nunca a um nome. Eu literalmente vivo esquecendo e trocando os nomes das pessoas, o pior de tudo é que elas ficam realmente chateadas e não adianta explicar que isso acontece com todo mundo.
        Parece que se você fala que faz isso com todo mundo é pior porque a pessoa se senti menos importante, sabe, é como se ela tivesse que ser especial. tipo : " olha, vc tem que acertar o nome de todo mundo menos o meu porque assim eu serei especial, já que isso só acontece comigo". Mas se você diz que só erra o nome daquela pessoa ela fica chateada porque é só com ela. Fica achando que você tem algo contra ela. "É claro, eu só erro o seu nome porque não gosto de você e deixo isso explícito quando erro o seu nome, porque todo mundo sabe que quando se erra o nome de alguém é porque você não gosta daquela pessoa".
        Fato é "as pessoas são tão confusas que é melhor não entende-las" ( não sei se alguém já disse essa frase, mais ela é tão óbvia que já devem ter dito, então coloquei as aspas para não me acusarem de plágio).
        Outra coisa que tenho percebido é que eu sempre troco a ordem das letras nas palavras na hora de digitar, por exemplo, em vez de digitar "dito" eu digito "dtio". Bizarro né. "C'est la vie".

terça-feira, 13 de julho de 2010

Achados por ai

        Essa semana, embora ainda seja terça, me trouxe muitas surpresas. Algumas eu já sabia que uma hora iriam acontecer , só não sabia quando e acho que ainda não caiu a ficha que eu fiz isso mesmo naquele lugar. É que eu não sou fã de fazer essas coisas por ai ainda mais em um lugar como aquele.
       Já recebi aas notas de algumas coisas.( o que é necessáriamente ruím, menos nas humanas).
       Hoje eu estava fuxicando as minhas coisas atrás de um trabalo de história e achei umas coisas que eu escrevi tipo:
    # 28/06 - Essa eu ouvi por ai "Se o mar invadisse a terra; Com suas águas profundas; Você não afundaria; Porque cara-de-pau flutua"
                - "eu diria que te amo se soubesse como o amor é. Como não sei, ficonessa indecisão sem saber o que sinto e até onde posso ir."
                - "Ele é um ser viciante. Quanto, mais sinto o calor de sue corpo, mais quero que ele fique aqui. Afinal, ele é tão bom que o rebaixo só em pensar nele."
                - " Eu acho que osto mesmo de você. Bem do jeito que você é."
    # 29/06 - "Um dia sem expectativas que começa alegre, caminha para a tristeza e deve terminar na desgraça. A vontade de se ter de novo o que já se teve um dia. Querer o calor, o tato, o cheiro de novo."
                  - "VOCÊ PODE ENFIAR UMA ADAGA NO MEU OLHO, MAS COM ÓCULOS NÃO SE BRINCA!" 
                - "EU FUI, O MEU BRAÇO FICOU E EU NÃO SOU MOTO"
                - "EU NÃO LAVO A MOCHILA, EU NÃO SOU MÃE"
                - "ATÉ HOJE ESPERO A MINHA VÓ ARRUMAR UM FUSQUINHA PRA ME LEVAR PRA PASSEAR"(a minha vó já morreu)
               

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Por que Leprechaun?

     Talvez você esteja se perguntando por que uma garota pseudo-normal está escrevendo em um blog chamado "Diario de um Leprechaun" e afinal o que é um leprechaun. Se você foi uma criança sem infância, ou simplesmente nunca ligou para lendas fodas, dê uma passada na wiki ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Leprechaun ) e veja. Caso eu esteja falando com um apaixonado por mitologia/lendas desculpe a minha ignorância porque eu não entendo nada de nada.
     Agora que eu já expliquei tudo você deve estar se perguntando "what hell " que essa garota queria escrever. Na verdade eu queria contar porque o nome do blog é "Diário de um Leprechaun". É porque eu sou um Leprechaun. Não! Infelizmente não sei fazer magiquinhas, nem sei onde é o fim do arco-íris e, pior ainda, eu NÃO TENHO um pote de ouro ( não insiste Louis, eu não tenho um pote de ouro. Juro. Verdade!).
    Fato é que eu sou uma garota muito baixa, ou seja tenho 1,58 de altura, e os meus amigos sempre [ menos a Enila!(te amo!)] são mais altos que eu. Então eles sempre me chamaram de anão, o que eu acho uma sacanagem com os anões porque se eu fosse um sentiria vergonha de ser chamada de anão sabendo que uma pessoa como eu é um anão, então um dia eu resolvi assumir e contar pra todo mudo que eu sou um Leprechaun, isso mesmo. Mas eu NÃO SEI FAZER MÁGICA!
   Pra quem me conhece de verdade fica tranquilo que eu não vou colocar nomes verídicos (nunca sei se escrevi direito essa palavra) mas com o passar do tempo vocês vão conseguir entender quem é quem.
   Acho que é tudo. Bjs.