quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Ilusão

        Não ligo em ser usada, só me importa saber. Mas de que adianta, se em nada muda?
        Quero-te mas quero-te de uma forma que não sei explicar. Quero-te bem, quero-te perto, quero-te dentro de mim, porém quero-te o mais distânte possível. Quero-te mal, quero-te humilhado e degradado por saber que no fim à de me magoar mas, mesmo sabendo disso, quero-te perto, quero-te dentro. Essa confusão de querer-te e rejeitar-te me abala, tira meu sono e joga-me aos calmantes.
          De que adiante o saber se em nada mudará? De que adianta esforçar-me em odiá-lo, em afastá-lo se no fundo (embora a superficie deixe transparecer) gosto-te muito ? Não ligo em ser usada, nem quero sabê-lo. Prefiro agarrar-e a ilusão.
          Porque, mesmo que você só me use, a ilusão fixará um sorriso em meu rosto.  

Dito por não dito...DIGO

Pequeno poema que fiz para alguém leia-se Lear
Gosto-te muito


Não posso dizer que meu coração bata só por ti
Pois isto já fazia muito antes
Não posso afirmar que o ar entre e saia de meus pulmões por ti
Pois isso, também, já o fazia a tempos
Não posso te falar que meus pensamentos se voltam única e exclusivamente a ti
Pois, sendo assim, estaria fardada ao fracasso ao atravesar a rua

Apesar de tudo posso afirmar-te que meu coração permanece bombeando
Meus pulmões se inflando
E meus pensamentos flutuando
Por gostar-te muito

Não posso dizer-te que continuo vivendo só por ti
Mas posso afirmar-te que faz parte integrante da vida em mim
Não porque sem ti ela não fisesse sentido
Porém porque contigo ela adiquire outro sentido

Afinal, todos estamos fardados a nos apaixonar mesmo que por breves instantes, puros segundos.

Desculpa!

        Tá! Eu sei que faz tempo que não posto, mas é que eu tenho escrito no papel e tenho esquecido de passar para o blog ( Sim, tenho "I-D-I-O-T-A" escrito na testa). Então ficam aqui as minhas sinceras desculpas, se aceita ou não é problema seu, e vamos aos escritos!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Magoa

        Por que, quando me magoam, sou eu que me sinto "indigna"e inferior?
        Sei lá, é como se a pessoa só me magoasse porque eu não tenho a capacidade suficiente de compreende-la.
        Sabe, de todas as formas, no final não importa porque minha nova era começou, os que me entendiam plenamente estão mortos e só não ou parar porque ainda não chegou a hora, talvez consiga ser melhor em aproveitar o que eles descartaram.
        É, no fundo, espero muito das pessoas.
(Sim, é a Penélope Cruz na foto)

Bienvenue dans ma réalité

        Ódio, sofrimento e dor. Esses são meus objetivos. Serei uma máquina de extermínio em massa, na verdade já o sou mas abdiquei, durante muito tempo, de exercer esse poder.
         Estou acima do bem e do mau, pois o principal são minhas regras. Sigo o terceiro caminho, o meu caminho. Minha jornada só acaba quando eu achar que está bom (ou morrer do nada), enquanto isso não acontece explorarei meus poderes. Serei mais irresistível, usarei tudo que tenho e sempre escondi.
         O medo e o remorso já não habitam em mim e esse é o atestado dessa nova fase (minha própria 'nova era').
         Preparem-se para mudanças, que podem não gostar muito. Eu posso perder o que mais gosto mas, como disse, certos medos não me habitam mais.
         A partir de agora não mais sobrevivo, finalmente vivo. E no final só três lembranças permanecem em mim : Kronos, Pâmela e Daniel - Minha mente sempre repete*.

{pequeno ensaio sobre uma mente pertubada}
* Ver "Telegrama de Moscou" de Carlos Drummond de Andrade.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sexta feira

         Acho que, como uma grande maioria, adora as sextas. Só que eu não gosto delas pelos mesmo motivo que a maioria, sair e conhecer pessoas na balada, eu as adoro porque é na sexta que tudo acontece.
         Na sexta retrasada eu conheci o Lear, um rapaz fofo e simpático (e muito bom também). Na verdade eu tenho sérios problemas em conhcer pessoas novas. É que quando eu encontro alguém que não conheça o meu cérebro grita "CORRE E SE ESCONDE!". Ou seja, tenho probleminhas (nada que você não saiba). Mas o que foi interessante notar é que na hora em que as coisas realmente aconteceram foi ele que ficou nervoso. Ou seja, QUE COISA FOFA!!!!!!!

domingo, 22 de agosto de 2010

Sindrome do pombo?

        Tudo bem, eu sei que não escrevo a milenios, é que eu ensaio escrever e não publico. Estou um pouco (muito) irritada porque estou sofrendo de algo que chamaram de " Sindrome do pombo" não sei se esse termo já existe, mas ele é perfeito para descrever a situação. 
         Para explicar: Todos já viram, pelo menos uma vez, a típica cena do velhinho alimentando o pombos como pedaços de pão.
         Fato é, tudo que eu comi até agora tinha pão. Não que eu só tenha comido pão, mas em tudo que eu como eu acho casca de pão. Sabe a casquinha do pão "francês"? Um pedaço dela está em tudo que eu como.
         Exemplo, no café da manhã eu comi cereal  achei dentro da caneca, enquanto comia, um pedaço de casca de pão. Mais tarde fui almoçar,comi comida e bebi suco. Lá estava eu, desfrutando do meu gostoso suco quando vejo algo dentro do meu copo. Sim, eu tenho a estranha mania de olhar para dentro do copo enquanto bebo ( no final conto o porque). Não é que eu vejo um pedaço de casca de pão. Me lembrando do café da manhã vou fazer um colherada e acho um pedaço de casca de pão no meio do arroz.
         Resumindo, EU ODEO ENCONTRAR CASCA DE PÃO NA COMIDA, AFINAL NÃO SOU POMBO.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Divulgação

        Esse é um post rápido para divulgar, como o nome já diz, sobre as outras coisas que escrevo. O primeiro é o "Rosenrot" (  http://rosenrot2.blogspot.com/ ), que vem do título de uma música do Rammstein (banda pela qual tenho uma paixão enorme) e significa " rosa vermelha". Eo o segunda é o " A Valkíria" ( http://avalkiria.blogspot.com/ ), que está meio caidinho mais possui postagens interessantes.

domingo, 18 de julho de 2010

00:24

        São exatamente meia noite e vinte e quatro minutos  eu estou acordada em casa ouvindo "Gossip" enquanto espero meu pai chegar e casa, porque ele saiu sem chave.
        Só me dei conta do que estava acontecendo à dois minutos enquanto escovava os dentes depois de beber matte. Percebi que quase nunca bebo café e quando bebo é com leite, não suporto café puro (agora já pode me chamar de bichinha Louis). Por isso resolvi sentar em frente ao computador porque cansei de ler "O Vampiro Lestat". Eu também me toquei que nunca vou conseguir guardar o nomes fictícios que usei nas pessoas porque sou horrível pra guardar nomes e siglas.
        Eu sempre consigo associar um rosto a uma coisa ou momento, mais nunca a um nome. Eu literalmente vivo esquecendo e trocando os nomes das pessoas, o pior de tudo é que elas ficam realmente chateadas e não adianta explicar que isso acontece com todo mundo.
        Parece que se você fala que faz isso com todo mundo é pior porque a pessoa se senti menos importante, sabe, é como se ela tivesse que ser especial. tipo : " olha, vc tem que acertar o nome de todo mundo menos o meu porque assim eu serei especial, já que isso só acontece comigo". Mas se você diz que só erra o nome daquela pessoa ela fica chateada porque é só com ela. Fica achando que você tem algo contra ela. "É claro, eu só erro o seu nome porque não gosto de você e deixo isso explícito quando erro o seu nome, porque todo mundo sabe que quando se erra o nome de alguém é porque você não gosta daquela pessoa".
        Fato é "as pessoas são tão confusas que é melhor não entende-las" ( não sei se alguém já disse essa frase, mais ela é tão óbvia que já devem ter dito, então coloquei as aspas para não me acusarem de plágio).
        Outra coisa que tenho percebido é que eu sempre troco a ordem das letras nas palavras na hora de digitar, por exemplo, em vez de digitar "dito" eu digito "dtio". Bizarro né. "C'est la vie".

terça-feira, 13 de julho de 2010

Achados por ai

        Essa semana, embora ainda seja terça, me trouxe muitas surpresas. Algumas eu já sabia que uma hora iriam acontecer , só não sabia quando e acho que ainda não caiu a ficha que eu fiz isso mesmo naquele lugar. É que eu não sou fã de fazer essas coisas por ai ainda mais em um lugar como aquele.
       Já recebi aas notas de algumas coisas.( o que é necessáriamente ruím, menos nas humanas).
       Hoje eu estava fuxicando as minhas coisas atrás de um trabalo de história e achei umas coisas que eu escrevi tipo:
    # 28/06 - Essa eu ouvi por ai "Se o mar invadisse a terra; Com suas águas profundas; Você não afundaria; Porque cara-de-pau flutua"
                - "eu diria que te amo se soubesse como o amor é. Como não sei, ficonessa indecisão sem saber o que sinto e até onde posso ir."
                - "Ele é um ser viciante. Quanto, mais sinto o calor de sue corpo, mais quero que ele fique aqui. Afinal, ele é tão bom que o rebaixo só em pensar nele."
                - " Eu acho que osto mesmo de você. Bem do jeito que você é."
    # 29/06 - "Um dia sem expectativas que começa alegre, caminha para a tristeza e deve terminar na desgraça. A vontade de se ter de novo o que já se teve um dia. Querer o calor, o tato, o cheiro de novo."
                  - "VOCÊ PODE ENFIAR UMA ADAGA NO MEU OLHO, MAS COM ÓCULOS NÃO SE BRINCA!" 
                - "EU FUI, O MEU BRAÇO FICOU E EU NÃO SOU MOTO"
                - "EU NÃO LAVO A MOCHILA, EU NÃO SOU MÃE"
                - "ATÉ HOJE ESPERO A MINHA VÓ ARRUMAR UM FUSQUINHA PRA ME LEVAR PRA PASSEAR"(a minha vó já morreu)
               

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Por que Leprechaun?

     Talvez você esteja se perguntando por que uma garota pseudo-normal está escrevendo em um blog chamado "Diario de um Leprechaun" e afinal o que é um leprechaun. Se você foi uma criança sem infância, ou simplesmente nunca ligou para lendas fodas, dê uma passada na wiki ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Leprechaun ) e veja. Caso eu esteja falando com um apaixonado por mitologia/lendas desculpe a minha ignorância porque eu não entendo nada de nada.
     Agora que eu já expliquei tudo você deve estar se perguntando "what hell " que essa garota queria escrever. Na verdade eu queria contar porque o nome do blog é "Diário de um Leprechaun". É porque eu sou um Leprechaun. Não! Infelizmente não sei fazer magiquinhas, nem sei onde é o fim do arco-íris e, pior ainda, eu NÃO TENHO um pote de ouro ( não insiste Louis, eu não tenho um pote de ouro. Juro. Verdade!).
    Fato é que eu sou uma garota muito baixa, ou seja tenho 1,58 de altura, e os meus amigos sempre [ menos a Enila!(te amo!)] são mais altos que eu. Então eles sempre me chamaram de anão, o que eu acho uma sacanagem com os anões porque se eu fosse um sentiria vergonha de ser chamada de anão sabendo que uma pessoa como eu é um anão, então um dia eu resolvi assumir e contar pra todo mudo que eu sou um Leprechaun, isso mesmo. Mas eu NÃO SEI FAZER MÁGICA!
   Pra quem me conhece de verdade fica tranquilo que eu não vou colocar nomes verídicos (nunca sei se escrevi direito essa palavra) mas com o passar do tempo vocês vão conseguir entender quem é quem.
   Acho que é tudo. Bjs.